Dicas

CNPJ de revendedor: 5 motivos para ser formalizado e evitar penalidades

Escrito por Gabriel Valle

Se você é um vendedor autônomo e ainda não pensou em formalizar a sua atividade, é hora de começar a rever essa postura. A abertura de um CNPJ de revendedor é um dos primeiros passos para garantir o desenvolvimento seguro da sua empresa.

Por isso, não deixe de ler nosso post. Separamos 5 motivos para você formalizar o seu negócio e prevenir problemas relacionados à falta de atenção com as medidas administrativas do trabalho autônomo. Acompanhe!

1. Facilidade para obter crédito de instituições financeiras

Saiba que muitos bancos oferecem linha de crédito especial para quem é microempreendedor individual (MEI). Desse modo, vale a pena adquirir seu CNPJ se você busca por mais facilidade de acesso a essa conveniência.

O cadastro comprova não apenas sua organização financeira, mas também as responsabilidades tributárias da empresa — favorecendo a diminuição de custos e, consequentemente, o crescimento empresarial.

2. Emissão de notas fiscais

Muitos pequenos empresários costumam achar que a emissão de nota fiscal seja desnecessária. Entretanto, se pensamos em desenvolvimento, devemos nos preocupar com a ampliação do faturamento e suas respectivas exigências tributárias, evitando os problemas jurídicos.

Por tal motivo, a possibilidade de fornecer notas significa um aperfeiçoamento das práticas gerenciais e uma melhora no relacionamento da empresa com os clientes.

3. Vendas ilimitadas e segurança negocial

Somente como microempreendedor formalizado com CNPJ seu empreendimento pode vender sem limitações e fechar contratos comerciais devidamente regularizados, aumentando assim as perspectivas de expansão.

Certamente, a ausência da emissão desses comprovantes fiscais impede a viabilização de acordos com empresas de médio e de grande porte. Além disso, mesmo quem trabalha no ramo da revenda pode sofrer sanções legais do governo e até ser interditado.

Lembre-se de que a formalização evita o pagamento de multas ou taxas fiscais ocasionadas pelo descumprimento das normas.

4. Prestação de serviços para órgãos públicos

Vale relembrar que a regulamentação também é sinônimo de ampliação das possibilidades de novos acordos, tanto entre agentes do setor privado quanto com órgãos públicos.

É importante destacar que só as empresas que possuem CNPJ podem vender ou prestar serviço para essas instituições — é uma das principais exigências desse tipo de parceria. Então, se quiser expandir suas negociações, inicie agora o seu processo de regularização.

5. Tranquilidade com as obrigações previdenciárias e tributárias

Se existe um motivo que justifique o seu esforço para se adequar às regras, podemos considerar a tranquilidade. Afinal, todo mundo deseja garantir estabilidade financeira e emocional. Ao obter um CNPJ, além de o revendedor ficar em ordem com as obrigações fiscais, se mantém em dia com as responsabilidades da Previdência Social.

Com o registro de MEI e a aquisição do CNPJ, o autônomo consegue contribuir e tem direito a todos os benefícios do INSS, como aposentadoria, auxílio-doença, auxílio-maternidade, entre outros.

Ser microempreendedor individual tem outra vantagem: é possível contratar trabalhadores para ajudá-lo nas suas atividades.

Agora que você sabe por que é tão importante ter um CNPJ de revendedor, dê entrada no site da Receita Federal. O processo não é complicado e está cada vez menos burocrático. Se tiver dúvidas, procure um suporte especializado para auxiliar nessa tarefa, mas não deixe de fazer!

Curtiu nosso post? Gostaria de saber mais sobre o assunto? Entre em contato, estamos prontos para responder suas perguntas.

Sobre o autor

Gabriel Valle

Formado em Administração de Empresas. Começou com 12 anos e passou por todos os setores, até assumir como CEO em 2010, cargo que ainda ocupa.
Ama o que faz e busca sempre entender e atender à todas as necessidades dos clientes da Valle.

Share This