Dicas

6 dicas para sair da crise financeira

A crise financeira afetou muitos brasileiros nos últimos meses. Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE, a taxa de desemprego no Brasil atingiu 13,2% no trimestre encerrado em fevereiro de 2017. Nosso país ainda passa por uma situação econômica delicada e, por isso, é de suma importância que você tenha um planejamento financeiro eficiente para superar a crise e manter sua família segura.

O primeiro passo para enfrentar tempos críticos é mudar seus hábitos, começar a organizar suas finanças e usar a sua criatividade para conseguir ganhar um dinheiro extra.

Neste artigo, reunimos 6 dicas indispensáveis para sair da crise financeira e garantir a segurança da sua família. Também mostramos como evitar problemas futuros atuando de forma preventiva em relação às finanças. Quer saber mais? Continue a leitura e confira!

1. Controle e reduza os seus custos

O controle financeiro é essencial para manter a estabilidade e as finanças em dia. Sem ele, você corre o risco de se esquecer de pagar algumas contas, gastar mais do que pode e, consequentemente, ter alguns prejuízos.

Faça o uso de aplicativos financeiros que auxiliem você nessa missão e anote todas as suas receitas e despesas. Assim, você terá uma visão mais ampla das suas finanças e também conseguirá identificar gastos exagerados ou supérfluos.

Outra vantagem de adotar um sistema para controle financeiro é a possibilidade de poder planejar suas despesas. Ao saber quais são seus principais gastos e, principalmente, aqueles que são essenciais e os que não são, você pode estipular quanto pode gastar em cada categoria do seu orçamento. Ao criar metas de despesas, você reduz o risco de gastar em supérfluos e não ter dinheiro para os gastos essenciais.

Feito o controle, é importante também reduzir as suas despesas e cuidar das suas prioridades financeiras, sejam elas dívidas ou investimentos. Verifique quais gastos podem ser eliminados ou diminuídos e, então, faça os cortes necessários.

Esse dinheiro que será economizado pode ser direcionado para a aquisição de algum bem importante, um investimento ou, até mesmo, para uma poupança.

Caso tenha dívidas, é preciso agir e se livrar delas. Para isso, entre em contato com as empresas credoras e busque fazer uma negociação que seja interessante para ambas as partes. Antes de fechar o acordo, não se esqueça de analisar o orçamento para avaliar sua real possibilidade de pagamento. Se possível, quite seus débitos à vista para pleitear um desconto.

2. Troque as dívidas caras pelas baratas

As dívidas tiram o sono de qualquer pessoa, principalmente se elas são oriundas do cartão de crédito ou do cheque especial. Os juros são altíssimos e podem fazer com que a dívida se torne impagável em pouco tempo — a famosa bola de neve.

Para solucionar o problema, é importante que você, além de negociar com credores, troque as suas dívidas caras pelas baratas.

No caso das dívidas do cartão de crédito ou do cheque especial, por exemplo, você pode optar por adquirir uma linha de crédito que tenha juros mais baixos para poder quitar as suas obrigações que possuem juros mais altos.

Outro cuidado importante em relação ao cartão de crédito é buscar quitar sempre o valor total da fatura, evitando o pagamento mínimo. Uma forma de se ter maior controle sobre os gastos com cartão é colocar cada valor gasto dessa forma em uma poupança. Assim, você garante que terá dinheiro suficiente para quitar a fatura no mês seguinte.

Não consegue manter o controle? Considere, então, aposentar o cartão de crédito ou usá-lo apenas para gastos específicos. Dessa forma, fica mais fácil se disciplinar para gastar apenas o que pode. Nesse sentido, pode ser uma boa ideia também cancelar o cheque especial para, assim, parar de usá-lo como extensão da sua renda mensal.

3. Aumente a sua renda

Dinheiro extra é sempre bem-vindo e, em meio a uma crise financeira, ele se torna indispensável. Para isso, é essencial que você analise o que gosta de fazer e se existe a possibilidade de ganhar dinheiro com isso.

Você pode empreender, trabalhar com revendas, prestar serviços como freelancer, atuar como vendedora autônoma etc. Aqui, o controle financeiro também é essencial. Você precisa saber quem está devendo e quem já efetuou o pagamento para evitar confusões e constrangimentos, por exemplo.

Além de um rígido controle financeiro de entradas e saídas de caixa, para ter sucesso na hora de aumentar sua renda, é preciso investir um valioso tempo na pesquisa sobre como começar um negócio para investir ou trabalhar. Aposte em setores que estejam sofrendo menos com os impactos da crise econômica e, ainda, áreas com as quais você se identifique.

Por fim, pesquise sobre as atribuições da atividade que deseja executar para ter dinheiro extra. Veja se elas estão alinhadas às suas habilidades e o que você pode fazer para tornar o novo trabalho realmente rentável. 

4. Desapegue do antigo estilo de vida

Desapegar do antigo estilo de vida não é fácil, mas é necessário. Para isso, é importante que você analise todas as suas despesas. Verifique quanto tem gasto no supermercado, se as viagens com a família têm sido constantes (a cada feriado prolongado, por exemplo), se as atividades com o lazer (tomar sorvete, comer pizza etc.) são muito onerosas, entre outros.

Crie uma nova rotina para a sua família, explique por que determinados gastos serão diminuídos ou substituídos por atividades mais baratas.

A boa notícia é que não é preciso abrir totalmente mão do lazer pra sair da crise financeira. O segredo é trocar hábitos caros por outros que sejam mais em conta, mas, nem por isso, menos divertidos. Que tal substituir o cinema de final de semana com a família por um filme em casa? Além de não gastar dinheiro com os ingressos, é possível economizar na pipoca.

Atividades pagas, como almoço de final de semana, podem ser substituídas por um piquenique no parque ou na praia, que são tão divertidos quanto, mas muito mais baratos.

5. Previna-se para o futuro

A crise financeira mostrou o quanto é importante se prevenir para o futuro. Como ninguém pode antever o que pode acontecer, a prevenção se torna a melhor opção.

Crie uma reserva de emergência, verifique quanto você e sua família precisam para cumprir com todas as obrigações mensais e estabeleça um valor para guardar. Como o nome já diz, esse dinheiro só deve ser utilizado em situações emergenciais, jamais para o lazer.

O ideal é conseguir guardar o equivalente a, pelo menos, três meses de despesas mensais da casa. Coloque esse dinheiro em uma aplicação que ofereça liquidez, ou seja, que permita que uma parte da quantia seja retirada a qualquer momento.

Esse ponto é muito importante, pois é impossível saber quando você precisará recorrer ao seu fundo de emergência. É preciso que você possa retirar o dinheiro guardado sem perder qualquer parte do rendimento.

Para conseguir superar a crise financeira, você precisa ter organização e dedicação. A falta de dinheiro traz preocupação e, muitas vezes, desespero, fazendo com que as noites se tornem longas e cansativas.

Em situações difíceis, é preciso manter a calma a fim de verificar o que pode ser feito para revertê-la. Por isso, não desanime e organize-se: somente assim você vai conseguir vencer esse momento conturbado.

6. Mantenha a situação sob controle

Agora que você aprendeu como sair da crise financeira, é hora de saber como atuar de forma preventiva para evitar passar por esse problema novamente. Nesse sentido, alguns cuidados são essenciais como, por exemplo, tornar a organização parte da rotina, ter um calendário financeiro e contar com metas bem definidas.

Veja algumas formas de prevenir uma nova crise:

Organize-se financeiramente

Para sair da crise financeira, o controle de gastos é mandatório. No entanto, para não se ver nessa situação novamente, é preciso ir além e tornar a organização das finanças um hábito. 

Um dos passos mais importantes para organizar-se nesse sentido é criar um orçamento pessoal e, também, um doméstico. Afinal, as contas da casa têm um impacto significativo nas finanças de qualquer família.

Criar um orçamento doméstico é uma forma de ter uma ideia geral de quanto a família gasta e, principalmente, no que gasta. Com essas informações em mãos, fica mais fácil fazer um trabalho de conscientização e prevenção com todos os membros da casa.

Caso as despesas em determinada categoria estejam altas como, por exemplo, a conta de luz, todos ficam cientes e, assim, podem mudar hábitos para reverter o cenário. Para não sofrer com a crise financeira novamente, é essencial que todos, mesmo as crianças, tenham em mente que também são responsáveis pelas finanças.

Tenha um calendário financeiro

Não são poucas as pessoas que até têm noção de quais são suas principais despesas, mas não têm a mínima ideia do fluxo de entradas e saídas de suas contas e cartões. Para não fazer parte desse grupo, invista na criação de um calendário financeiro.

A ferramenta consiste, basicamente, em registrar a previsão de entrada de receitas (como salário, pagamento de trabalhos como freelancer, vendas etc) e dos pagamentos que devem ser realizados.

Ao ter um calendário financeiro, você sabe exatamente quanto e quando tem que receber para pagar suas contas até a data de vencimento. Assim, pode se organizar para, por exemplo, cobrar clientes ou aumentar o fluxo de trabalho em determinada época, caso as contas estejam muito altas.

Trace objetivos financeiros

Para sair da crise financeira, ter metas de despesas é um passo importante. Para ir além e alcançar de uma vez por todas a estabilidade das finanças, é preciso traçar objetivos financeiros.

Na prática, isso quer dizer colocar no papel onde se deseja chegar em curto, médio e longo prazo com a ajuda de suas finanças. Você pode, por exemplo, querer ter uma aposentadoria segura daqui a 30 anos ou, em cinco anos, dar entrada em um apartamento.

Objetivos definidos, é hora de desdobrá-los em metas possíveis de serem realizadas. Caso você queira se aposentar em 30 anos, estipule quanto precisa poupar até lá, quais são os melhores investimentos para colocar seu dinheiro, em que áreas você precisa cortar gastos para alcançar essa prioridade financeira e, até mesmo, quanto precisa fazer como autônomo para atingir o objetivo.

Siga nossas dicas e veja que, além de sair da crise financeira, atuando de forma preventiva, você não sofrerá tanto os efeitos dos percalços econômicos.

Já pensou em ganhar renda extra para melhorar sua situação financeira e de sua família? Baixe o e-book sobre o tema e saiba como fazer!

Sobre o autor

Gabriel Valle

Formado em Administração de Empresas. Começou com 12 anos e passou por todos os setores, até assumir como CEO em 2010, cargo que ainda ocupa.
Ama o que faz e busca sempre entender e atender à todas as necessidades dos clientes da Valle.

Share This